Biografia

Fabio Nunez nasceu em São Paulo no dia 26 de maio de 1976, no bairro de Vila Mariana.

Filho caçula de Dona Evinha e João Sobrinho, Fabio, desde pequeno gostava muito de desenhar e de cantar. Com a eclosão do rap “Melô do Bastião” (1986) e a primeira coletânea de rap “Hip-Hop Cultura de Rua” (1988), Fabio se inspirou começou a escrever suas primeiras letras. Aos 13, montou o seu primeiro grupo “Guardiões do Rap”, ganhando alguns festivais de rap que aconteciam nos bailes de colégio na região da zona sul. Num desses bailes, mais precisamente em 1991, entre a platéia estava Denival (hoje conhecido pelo vulgo Dimenó – Alvos da Lei) que ficou encantado com as rimas de Fabio, encontro que gerou o grupo “Mensagem Informal”. Quase aconteceu uma parceria com Giba (na época dono da gravadora MA Records), mas ainda não era o momento de Fabio ter o seu trabalho gravado. Neste mesmo ano, Fabio ganha de seu pai um violão, foi quando toda aquela referência musical que tinha desde pequeno, ouvindo os LP’s que seu pai comprava – Eduardo Dussek, Ritchie, Blitz, RPM, Magazine, Roberto Carlos, Toquinho, Caetano Veloso, Gal Costa, Roupa Nova, Raul Seixas, Paralamas, Legião, Titãs, Engenheiros do Havaii e tantos outros, fez com que Fabio saísse do grupo Mensagem Informal e protelasse seus sonhos na música de forma profissional para outro momento, pois aquele era o ensejo de curtir o violão e de desenvolver um conhecimento maior com a música através de um instrumento. Aprendeu a tocar violão comprando em banca de jornal aquelas revistinhas de músicas cifradas.
Essa junção de compor agora com o instrumento colaborou para ampliar os horizontes da criação no trabalho autoral de Fabio. Em meio a tudo isso, seu irmão do meio Nilton, monta uma banda de rock com os amigos, chamada “Trilhos Urbanos”. Ali, Fabio começa a esboçar em sua mente toda a concepção de trabalho com banda – instrumentos, repertório, ensaios, shows…

  Fabio credita todo o seu gosto musical pela influência que teve do seu irmão Nilton, irmão que também comprava muitos discos e fitas de música brasileira. Quando ele saia para trabalhar, Fabio ficava fuçando os LP’s do irmão e conhecendo as obras e detalhes desses artistas nos encartes e as canções na vitrola, mais precisamente o saudoso 3 em 1.
Com 16 anos, conseguiu o seu primeiro (e único emprego registrado em carteira), como office-boy no Hospital São Paulo. Aos 19 anos recebeu um convite para substituir um amigo em um barzinho em Moema, daí em diante Fabio iniciava sua carreira nas noites paulistanas, tocando em vários bares e consequentemente pedindo a conta do seu emprego de contínuo. Todo aquele repertório que aprendeu a tocar, dentro daquela referência que adquiriu em casa com os LP’s, foi ganhando mais sentido e profissionalismo. Em 2009, com o dinheiro que juntava semanalmente tocando na noite, resolveu gravar suas próprias canções. Durante essas gravações, Fabio é convidado para disponibilizar duas de suas músicas “Duas Vidas e Um Só Destino” e “Nega Que é Nega Não Nega Ser Nega Não!” em uma plataforma que surge no cenário musical da época – o Oi Novo Som.
Essas duas canções ganharam destaque dentro do portal, tendo o maior número de streaming e o maior número de downloads. O que acabou possibilitando a inclusão da faixa “Duas Vidas e Um Só Destino” na primeira coletânea do projeto Oi Novo Som, lançado em 2009.
Seu álbum homônimo produzido por Giulius Spiridium, contou com a participação de vários músicos consagrados como PJ (baixista da banda Jota Quest) e também do cantor e compositor Kléber Albuquerque na faixa “Procura-se um RG”, Mário Lúcio Marques, flauta transversal na faixa “LuzesColoridas” , Jether Garotti Jr., piano na faixa “Duas Vidas e Um Só Destino”, DJ Tony-di, scratch e colagens nas faixas “Nega Que é Nega Num Nega Ser Nega Não” e “Um Dia de Cada Vez”. A faixa “Nega Que é Nega Num Nega Ser Nega Não” ganhou um videoclipe com exibição no Canal Brasil (Clipe Brasil) e MTV (LAB MTV).
Em 2012, Fabio lança o compacto digital “Antes do Nibiru e das Tempestades Solares” com as faixas “Morena Que Mora em Mim” e “Toda Maravilhosa” que conta com a participação especial do rapper Man 13 do Grupo Mesclado.
Em 2015, Fabio se reiventa e lança uma nova versão da música “Nega Que é Nega Num Nega Ser Nega Não” para “Nega Que é Nega Não Nega Ser Nega Não!”. A nova versão, além de ganhar uma nova roupagem, ainda conta com a participação da rapper Cris SNJ. O trabalho foi tão produtivo que gerou um videoclipe e um documentário.
No momento, Fabio Nunez está produzindo o novo trabalho “Sentimentos Elegantes”.

NOVOS ÁLBUNS